Robert Kelly Interview

Crianças e home-office: 5 dicas práticas de pais experientes

Quem não lembra do vídeo que viralizou do professor Robert Kelly em transmissão ao vivo para BBC, quando sua sala é invadida por duas lindas crianças?

Pois bem, agora você que tem crianças em casa em plena quarentena e precisando produzir em home-office, entende completamente o professor.

Juntei algumas dicas aqui de pais que estão em home-office com seus filhos, para ajudar você a pensar e passar por essa fase. As dicas podem ser úteis ou não, dependendo de como sua família se organiza para fazer funcionar, da idade da criança sob seus cuidados e das especificidades de cada uma.

Em todos os relatos que eu ouvi uma coisa é certa, aquela cena de trabalhar com o bebê no colo sorrindo ou trabalhar em paz no computador, enquanto uma criança sorridente desenha, é uma expectativa a ser eliminada.

Com crianças muito pequenas os cuidados são mais constantes e a dificuldade de manter a produtividade é mais complicada. Já com as que tem mais de 4 anos, as estratégias funcionam melhor. Percebo que a preocupação dos pais passa a girar em torno de manter a saúde mental. Tanto deles quanto das crianças, que já entendem as notícias sobre mortes e vírus. A realidade é muito mais trabalhosa, imprevista, varia de momentos de estresse e de total satisfação.

1 – Fale com sua gerência/Chefia

Ninguém teve muito tempo para se planejar para situação atual. Cobrar a mesma produtividade de dentro da empresa, sendo que você precisa lidar com outras demandas, é completamente irreal. Mas se manter trabalhando estabelecendo e conversando sobre os limites, é muito importante. Liste com sua gestão as atividades imprescindíveis e quando conseguir foque nelas.

2 – Se pode dividir os cuidados das crianças, faça isso!

Se você pode contar com outro adulto para dividir os cuidados, ótimo! Se este parceiro também está em home-office, a dica mais repetida foi dividir as tarefas de forma que na metade do tempo, um dos dois possa ter atenção focada no trabalho. Por exemplo, um pode trabalhar focado no quarto de manhã, enquanto o outro trabalha na mesa ajudando as crianças em alguma atividade. Durante a tarde, trocam de lugares os adultos, de forma que cada um pode ter um período de atenção focada no trabalho. 

Se você pode contar com outro adulto que não está trabalhando em home-office e pode se dedicar aos cuidados no horário comercial, seja parceiro(a), avós, parentes que moram na mesma casa, você tem sorte! Aceite e pegue pesado na próxima dica.

3 – Tempo focado na família

Após encerrar as atividades, ou naqueles minutinhos de descanso após o almoço, separe um tempo para estar junto a sua família. Faça questão de estar completamente presente. Brinque, jogue, leia historinhas, converse…

Depois de muito ouvir mulheres que estão com maridos em Home-office… um recadinho importante para os pais:

Exerçam sua paternidade sem medo e não se use da desculpa do “estou trabalhando” o tempo todo, para delegar COMPLETAMENTE os cuidados para a parceira. Organizando direitinho, todo mundo cuida da casa, dos filhos e do trabalho.

4 – Organize as atividades das crianças

Principalmente se forem crianças de idades maiores e que consigam realizar atividades com mais independência. Uma das ideias é organizar listas com demandas já previstas e prender na porta da geladeira, como por exemplo:

  • Estou com fome: Possibilidades de lanches.
  • Estou entediado: Possibilidades de brincadeiras (pintar, colar, jogar, ler…)

5 – Você vai “fazer o Robert Kelly”, aceite!

É um fato permanente que na hora daquela call importante vai rolar uma briga entre irmãos, ou vai adentrar alguém chamando porque precisa de você com urgência. Na conversa com os pais/cuidadores sempre surge aquela brincadeira, de que as crianças farejam quando é uma videoconferência importante para fazer algo. Pois bem, aqui existem algumas estratégias:

  • Combinar com a família e deixar uma placa na porta, ou próximo ao local de trabalho, escrito “Estou ocupado” ou “PARE”.
  • Treinar as crianças: principalmente se forem pequenas, mas que já entendem as situações. 
    • Explicando o que é uma reunião e porquê é importante respeitar.
    • Simular algumas situações de reunião ao longo do dia, transformando em brincadeira a “hora do silêncio”, que será precedido de alguma comemoração quando a criança conseguir cumprir.
  • Avise seu cliente: comunicação é tudo no home-office e serve para tudo, inclusive nesses casos. Diga ao seu cliente que está em home-office, que tem crianças, a idade delas e que talvez ele poderá ouvir suas vozes ou aparecer em algum momento. Pode ser que seu cliente (ou seja lá quem for) esteja na mesma situação e a conversa comece a partir de uma estratégia “quebra gelo”, de forma mais fluida.

Acho válido dividir na íntegra aqui o comentário de um dos entrevistados, o Jeferson, Freelancer Vibbra!, que trabalha home-office, tem duas filhas, uma de 5 anos e outra de 11 meses.

“Aqui temos a filosofia de não separar/definir nossa vida como pessoal e profissional, tudo é nossa vida. Para que isso funcione bem temos um acordo de não ficarmos procurando uns aos outros dentro de casa quando estou no escritório. Minha filha mais velha já sabe: porta do escritório fechada = papai trabalhando = não posso chamá-lo pra qualquer coisa.” – Jeferson

São algumas estratégias que podem vir a funcionar, baseadas em pessoas que já estão em home-office com seus filhos e o que elas me contaram.

E para você como está sendo?

#estamosjuntos

Tech Sob Demanda

Ideal para projetos pontuais e rápidos

Tech Dedicado

Ideal para demandas de médio e longo prazo

Vibbra Squad

Ideal para desenvolver novos projetos

Vibbra Enterprise

Ideal para um alto volume de horas mensais fixas

Receba nossas News!

Cadastre-se na nossa newsletter para acompanhar as novidades da Vibbra e do mercado.

Amplie seu conhecimento

Olá! Me chamo Rodrigo e estou disponível para te ajudar!