Desenvolvedor Autônomo Vs Desenvolvedor Colaborador

Neste post, vamos tratar de alguns benefícios e desafios em ser desenvolvedor autônomo ou desenvolvedor colaborador dentro de diferentes tipos de organizações.

Os rumos que a carreira de um desenvolvedor pode tomar são muitos! Profissionais de TI podem trabalhar tanto de forma autônoma (freelancer), quanto em pequenas, médias e grandes empresas.

Cada uma dessas opções de carreira pode fornecer diferentes desafios, oportunidades, seguranças e inseguranças ao profissional. É possível que um mesmo desenvolvedor experimente cada uma dessas possibilidades de trabalho conforme o seu momento de vida.

Por isso, neste post, vamos tratar de alguns benefícios e desafios em ser desenvolvedor autônomo ou desenvolvedor colaborador dentro de diferentes tipos de organizações.

Boa leitura! Esperamos que as reflexões aqui provocadas possam te ajudar na sua tomada de decisão.

Sumário

  1. Grandes organizações e suas oportunidades
  2. Startups e seus desafios 
  3. A liberdade em ser desenvolvedor autônomo
  4. As vantagens de associar-se a plataformas de desenvolvimento

1. Grandes organizações e suas oportunidades

Como falamos inicialmente, o momento de vida e o perfil de cada profissional influencia muito nos objetivos buscados em sua carreira. Assim sendo, caso o desenvolvedor esteja em busca de aprendizado e conhecimento sobre gestão de grandes projetos, uma média ou grande empresa pode ser um bom ambiente para se trabalhar.

Geralmente, jovens profissionais, ao adentrarem o mercado de trabalho, precisam desenvolver boas práticas de programação, organização e comunicação. Nesses casos, ambientes de trabalho mais formais e hierárquicos podem contribuir (e muito) para o aprendizado de soft skills e, até mesmo, de hard skills.

Caso o perfil do profissional seja o de quem preza pela estabilidade e pela segurança, tais ambientes de trabalho podem se apresentar como espaços de crescimento ao longo do tempo. Entretanto, caso o perfil do profissional seja o de alguém que busca autonomia e novos desafios, talvez esse ambiente sirva apenas como um momento de aprendizado e passagem para lançar-se a novos projetos.

2. Startups e seus desafios

Diferente dos ambientes formais, hierarquicamente estruturados, com definições de tarefas bem definidas, os ambientes das startups oferecem outro cenário de trabalho.

Geralmente mais informais, as startups prometem oportunidades de crescimento e maior flexibilidade nas rotinas diárias. Entretanto, assim como quaisquer outros caminhos, as startups também apresentam uma série de desafios.

Uma vez que tratam do desenvolvimento de produtos disruptivos, em sua maioria, não é incomum a realização de mudanças nos processos de desenvolvimento de software. Iterações podem (e devem) acontecer, por vezes, em curtos períodos de espaço e tempo.

Por mais que jovens profissionais sintam-se bastante atraídos por estes ambientes de trabalho, por sua oportunidade de crescimento e maior liberdade criativa, profissionais um pouco mais experientes tendem a se destacar.

As boas práticas de programação e comunicação, muitas vezes adquiridas em trabalhos e projetos prévios, tendem a ser um grande diferencial. Em um ambiente de constantes mudanças e muita pressão, toda boa prática pode ser de extrema importância para o bom andamento de um projeto.

3. A liberdade em ser desenvolvedor autônomo

É possível que você esteja na faculdade, mas já tenha começado a trabalhar fazendo alguns freelas. Ou, é possível que você, após ter trabalhado em diferentes empresas, tenha decidido seguir sua carreira como desenvolvedor autônomo.

Nesses casos, é incontestável a liberdade da qual você pode usufruir, bem como do equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. Podendo optar desde quais projetos deve atender ou não, até as formas de trabalho remoto e seus respectivos horários de atuação.

Uma das grandes vantagens em trabalhar de forma autônoma é poder lançar-se a diferentes desafios a cada projeto. Além de definir quantas horas almeja trabalhar por dia, assim como o seu valor-hora.

Certamente, toda essa autonomia vem acompanhada de grandes responsabilidades, como a gestão de projetos e clientes. Por vezes, os desafios encontram-se no fato de trabalhar sozinho; no receio de levar calotes de clientes imprevisíveis; e na prospecção constante de novos projetos.

4. As vantagens de associar-se a plataformas de desenvolvimento

Entretanto, o trabalho de desenvolvedores autônomos não precisa ser solitário, muito menos arriscado. Ao fazer parte de plataformas como a Vibbra! os profissionais de TI podem desfrutar da segurança que um mediador como a Vibbra! propicia.

É papel de plataformas como a nossa garantir que tanto os profissionais quanto os clientes sintam-se seguros em realizar novos contratos de projeto. Garantindo entregas e pagamentos.

Além disso, fica a cargo da nossa plataforma prospectar novos clientes e realizar o match ideal entre demandas e habilidades de desenvolvimento. Sem mencionar que também fica por nossa conta filtrar aquelas demandas impossíveis: “Vocês fazem tipo um Tinder simplificado por dois mil reais?”

E você? Sabe dizer qual tipo de ambiente de trabalho combina mais com o seu momento de vida, carreira e personalidade? Conte com a Vibbra! para atuar em projetos como desenvolvedor autônomo ou para contratar horas de desenvolvimento para complementar o seu time de software.

Se você se encaixa nessa modalidade autônoma e busca oportunidades novas e seguras, inscreva-se no nosso processo seletivo.

Se você é uma empresa e busca contratar profissionais de TI, com segurança e de forma confiável, fale com um de nossos consultores de negócio.

Tech Sob Demanda

Ideal para projetos pontuais e rápidos

Tech Dedicado

Ideal para demandas de médio e longo prazo

Vibbra Squad

Ideal para desenvolver novos projetos

Vibbra Enterprise

Ideal para um alto volume de horas mensais fixas

Receba nossas News!

Cadastre-se na nossa newsletter para acompanhar as novidades da Vibbra e do mercado.

Amplie seu conhecimento

Olá! Me chamo Rodrigo e estou disponível para te ajudar!